A Ponte de Öresund é uma das mais singulares obras de arte do Norte da Europa e o exemplo perfeito do poder da colaboração transfronteiriça em obras de engenharia. É também uma das mais fotografadas pontes do mundo, muito graças à ilha artificial, localizada no meio do estreito de Öresund, que serve de interface de transição para um túnel subaquático (e subterrâneo) com cerca de 4 quilômetros de comprimento. A estrutura, que é a mais longa ponte ferroviária e rodoviária da Europa, com um tabuleiro de 8 quilômetros de extensão.

A ‘’Ponte Impossível’’ como é chamada carinhosamente a surreal Öresund é uma gigantesca ponte de aço estaiada em meio ao mar Báltico liga Copenhague (Dinamarca) e Malmö (Suécia) cortando um estreito que separa os dois países através do mar.

A fabulosa ponte é a concretização de um sonho de mais de um século, na verdade desde 1872 os dois países estudam uma forma de construir uma via de comunicação perene entre eles , sem sucesso devido à dificuldades intrínsecas da obra.

Em 1991 foi assinado um acordo para sua implementação, o planejamento da ponte foi levado a cabo em 1994 e a construção teve início em 1995. Em 2000 a princesa da Suécia e o príncipe da Dinamarca inauguraram juntos a ponte.

Envolta em condições inóspitas e perigosas, exposta a temperaturas baixíssimas -200 C e ao ambiente marinho que oferece perigo de colisões em navios ou geleiras, exposição às tempestades e outros flagelos do rigoroso clima europeu, a ponte foi desde o começo um desafio. Todos esses fatores exigiram precisão milimétrica e tecnologia avançada para desenvolver uma obra com expectativa de vida útil para no mínimo 100 anos.

Para atingir esse objetivo foi necessário utilizar os mais avançados recursos tecnológicos e os mais refinados parâmetros em termos de qualidade, segurança e planejamento detalhadíssimo. O resultado de todo esse esforço foi Öresund uma engenhosa obra arquitetônica que reúne técnicas de construção primorosas e impressionantes em um design único e futurista.

O complexo da ponte é formado por:

– Ponte
– Submarino
– Ilha artificial

Contando com todas as estruturas do complexo, desde a ponte, até a ilha e o túnel, são mais de 16km empregados na travessia entre os dois países. Öresund é composta por uma autoestrada destinada ao tráfego rodoviário, na parte superior de concreto, com 6 pistas, duas para circulação de carros, duas vias férreas e mais duas de emergência. O custo total da ponte ficou em torno de 1,5 milhões de dólares, com o valor dos custos da construção divididos entre os dois países.

A maioria dos elementos com exceção dos tabuleiros foram pré-fabricados em fábricas da costa sueca e especificamente confeccionados para a para obra. Os tabuleiros por sua vez foram fabricados pela Dragados Off Shore em Cádiz, Espanha.

Utilizar elementos pré-fabricados ao invés de optar por construí-los no local foi uma sacada de mestre porque devido ao rigor climático, durante meses, o local fica congelado e quando digo congelado quero dizer que as águas do estreito se convertem em puro gelo.

A utilização da ponte depende do pagamento de um pedágio para atravessar o complexo. E, além disso, é necessário andar com um passaporte válido, já que através da ponte você estará transitando de um país a outro.Estima-se que mais de 25 milhões de pessoas utilizem a ponte para realizar a viagem Suécia-Dinamarca, e vice-versa, durante o ano.

Se interessou em saber mais? Confira um documentário da NatGeo sobre a construção da ponte.

Fontes:Portal Metálica.

Um comentário
  • Obra realmente extraordinária. Visitei a construção do túnel, em Copenhagen, em outubro 1997. Estruturas premoldadas que eram submersas para ficarem apoiadas em trechos escavados do leito marinho.

Deixe seu comentário